Início do menu.
Início do conteúdo.

Ultimas Notícias

Voltar

CCJ APROVA INDICAÇÃO DO DESEMBARGADOR EVANDRO VALADÃO PARA VAGA DE MINISTRO DO TST

Evandro Valadão
Data de criação: 12/6/2019 11:44:00

Após sabatina, a Comissão de Constituição Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (12/6), por unanimidade, o nome do desembargador Evandro Pereira Valadão Lopes, do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRJ/RJ), para ocupar a vaga de ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST) destinada à magistratura, aberta em decorrência da aposentadoria da ministra Maria de Assis Calsing. A indicação (MSF 19/2019) segue com urgência para o Plenário.

Indicado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, o desembargador foi o único da lista tríplice que obteve o voto e o apoio da maioria absoluta dos ministros do TST, conforme destacou o relator da indicação, senador Eduardo Gomes (MDB-TO). "Estamos levando ao Tribunal Superior do Trabalho um grande brasileiro, profissional dedicado, de conduta ilibada e de saber jurídico reconhecido", disse ele. 

Durante a sabatina, o desembargador respondeu a questionamentos sobre temas variados, como o impacto da reforma trabalhista na Justiça do Trabalho e a inclusão do Brasil na "lista suja" da Organização Internacional do Trabalho (OIT) de países investigados por suspeitas de violar as convenções internacionais do trabalho.

PERFIL 

Natural do Rio de Janeiro, o desembargador Evandro Pereira Valadão Lopes ingressou na magistratura do trabalho em 1989 no cargo de juiz do trabalho substituto e, em 1993, foi promovido a juiz titular. Atuou em varas do trabalho na capital, em Nova Iguaçu, Macaé e Nilópolis.  Em 2003, foi promovido a desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (RJ). Presidiu comissões examinadoras de concursos para a magistratura e dirigiu a Escola Judicial no biênio 2013/2015. Foi, ainda, presidente da Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 1º Região (Amatra1) de dezembro de 1999 a dezembro de 2001.

Com informações e foto da Agência Senado

assinatura aic